terça-feira, 28 de julho de 2015

População do Alto Brasil sofre sem telefone desde quinta-feira (22)

Situação dos orelhões mostra descaso da Oi com os moradores


O sinal da Oi, única operadora de telefonia no povoado Alto Brasil, 48 km de Grajaú parou de funcionar na última quinta-feira (23), deixando os moradores sem comunicação e causando diversos prejuízos.

“Fui a Grajaú fazer a reclamação para a empresa e até agora nenhuma solução foi tomada; os negócios e a vida da população do nosso povoado estão sendo prejudicados pelo descaso da Oi”, disse Elias de Sousa Sena, morador.

Não é de agora que a operadora presta um mau serviço no povoado; no início do ano, a telefonia fixa ficou mais 90 dias sem funcionamento; hoje a mensagem “Emergência” é o único sinal nos diversos telefones móveis rurais.

A decisão tomada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que garante ligações locais feitas para telefones fixos em orelhões da Oi gratuitamente ficará só no sonho dos usuários do Alto Brasil, pois os orelhões encontram-se sem funcionamento e destruídos (veja foto).




Nas redes sociais moradores pedem soluções às autoridades competentes; e ajuda os empresários para a compra de uma torre para instalação da telefonia no povoado.


Compartilhar no Google Plus
Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. O Jornal Grajaú de Fato não se responsabiliza pelas opiniões pessoais de seus leitores.

Comentários

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Bingão reúne milhares de grajauense no encerramento da 38ª Expoagra



O tradicional Bingão da Expoagra no último dia do evento reuniu milhares de grajauense que foram tentar a sorte e ganhar quatro bezerros; R$ 1.500 reais; e duas motos 0km, uma Pop 100 e uma C100 Biz.

Foram nove dias de muita alegria, emoção, boa música e recorde de público, conforme avalia Milton Gomes dos Santos, presidente da Associação dos Criadores de Grajaú (ASCIGRA) “Realizamos um grande evento; nesta semana o ritmo da cidade mudou, as venda do comercio aqueceu, os hotéis lotaram, até posto de combustíveis faltou o produto, prova que a Exposição Agropecuária de Grajaú é sem dúvida uma atividade cultural e econômica que vem contribuindo para o desenvolvimento e crescimento do munícipio, por isso só tenho à agradecer a todos que contribuíram para realização desta magnifica festa”.

Além dos moradores da cidade, muita gente das cidades vizinhas e turistas estiveram prestigiando a cavalgada de abertura com suas comitivas, os leilões, a vaquejada, parque de diversão, exposições e venda de animais e os grandes shows nesta ano com apresentação do cantor Pablo do Arrocha, Wesley Safadão e Banda Garota Safada, Thiago & Luan, Juliano Reis na Balada Sertaneja; Forró dos Plays e Matheus Fernandes; os cantores da terra Wanderson & Cia, Banda Cheiro do Mará, Willian Assunção, Ricardo Bondinho, entre outros artistas que vão deixar saudades.

O prefeito Júnior de Sousa Otsuka que marcou presença em várias noites destacou a importância do evento para valorização do setor pecuário do município; disse que apesar das dificuldades econômicas que o Brasil sofre Grajaú não é diferente, mesmo assim foi realizada uma festa bonita, de portões abertos para comunidade, contanto com uma importante parceria da sociedade, dos pecuaristas, empresários, agricultores, da câmara municipal de vereadores, da ASCIGRA e também da Prefeitura Municipal.

Otsuka agradeceu todos da comissão organizadora pelo empenho e dedicação para que tudo desse certo, evento de altíssima qualidade e com segurança “O trabalho da Guarda Municipal e dos Agentes de Transito é prova de nosso compromisso com o resgate desta Expoagra; estamos tentando fazer o melhor; e foi por isso que o povo de Grajaú nos colocaram aqui”.

Compartilhar no Google Plus
Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. O Jornal Grajaú de Fato não se responsabiliza pelas opiniões pessoais de seus leitores.

Comentários

Direção estadual do PCdoB emite nota de solidariedade a Simone Limeira




A Direção Estadual do PCdoB no Maranhão emitiu nota na quinta-feira (23) se solidarizando com Simone Limeira, acusada pelos meios de comunicação do Grupo Sarney de receber propina do índio Iurauchene Alves para facilitar liberação de recursos para empresários do setor de transporte escolar indígena.

Na nota, o PCdoB lamenta o que chamou de armação contra a ex-assessora. “Conforme anunciado pela própria companheira Simone Limeira, imediatamente após a denúncia, a mesma procurou a Assessoria Especial para esclarecer tratar-se de grosseira armação para atingir o governo. Mesmo prestando os esclarecimentos pediu afastamento do cargo que ocupava a fim de se dedicar à defesa de sua honra e imagem”, diz trecho da nota.

Em nota oficial emitida na quarta-feira (21), Limeira disse que pediu afastamento do cargo para provar sua inocência “em todas as instâncias que forem necessárias.

Leia na integra a nota do PCdoB:

Em face das denúncias feitas pelo Sr Uirauchene Alves Soares contra a companheira Simone Limeira, dirigente estadual do PCdoB e liderança política no município de Grajaú, a direção estadual do Partido Comunista do Brasil no Maranhão se pronuncia nos seguintes termos:

1) Conforme anunciado pela própria companheira Simone Limeira, imediatamente após a denúncia, a mesma procurou a Assessoria Especial para esclarecer tratar-se de grosseira armação para atingir o governo. Mesmo prestando os esclarecimentos pediu afastamento do cargo que ocupava a fim de se dedicar à defesa de sua honra e imagem;

2) Ao longo dos anos de militância, a companheira Simone Limeira tem dado grande demonstração de dedicação à luta pela melhoria das condições de vida do povo maranhense, sobretudo de Grajaú, município onde atua e goza de imenso prestígio e respeitabilidade;

3) A companheira Simone Limeira conta com a confiança da direção do PCdoB/MA e de seus companheiros e companheiras de luta. Consideramos justa a sua indignação e apoiamos que tome as medidas judiciais cabíveis a fim de reparar os efeitos danosos que a calúnia têm lhe causado.

São Luís, 23 de julho de 2015.

A direção estadual do PCdoB
Compartilhar no Google Plus
Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. O Jornal Grajaú de Fato não se responsabiliza pelas opiniões pessoais de seus leitores.

Comentários

Grupo do Maranhão é o primeiro a se inscrever para a Jornada Mundial da Juventude na Polônia

O Padre João Chagas na sede do setor Juventude do PCL, em Roma - RV


Cidade do Vaticano (RV) -  Um grupo de São Luís do Maranhão foi o primeiro a iniciar o processo de inscrição para a Jornada Mundial da Juventude de 2016, em Cracóvia.

A informação foi confirmada pelo Padre João Chagas, responsável pelo setor Juventude do Pontifício Conselho para os Leigos, durante participação ao vivo na primeira edição do Programa Brasileiro, na tarde desta segunda-feira (27).

Francisco foi o primeiro peregrino inscrito na JMJ. O marco simbólico aconteceu neste domingo, após o Angelus. Acompanhado de dois jovens, uma polonesa e um italiano, o Papa, por meio de um tablet, confirmou a sua inscrição no dia em que começou a contagem regressiva de um ano para a JMJ.

Padre João ainda explicou em que fase se encontram os trabalhos de organização em Cracóvia e como será a Porta Santa da Juventude. Siga a nossa TAG JMJ 2016 para acompanhar as últimas informações sobre o maior evento jovem católico do mundo. (RB).

Fonte: Rádio Vaticano
Compartilhar no Google Plus
Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. O Jornal Grajaú de Fato não se responsabiliza pelas opiniões pessoais de seus leitores.

Comentários

sábado, 25 de julho de 2015

FRASE DO DIA


O momento não é para a busca de aproximações com o governo, mas sim com o povo. Qualquer conversa não pública com o governo pareceria conchavo na tentativa de salvar o que não deve ser salvo (Fernando Henrique Cardoso)

O ex-presidente publicou a frase em sua página no Facebook, neste sábado, 25. Ele responde ao suposto pedido do ex-presidente Lula de haver um encontro entre os dois no qual o petista pediria a FHC intervenção nas articulações do PSDB sobre o movimento de impeachment da presidente Dilma Rousseff.
Compartilhar no Google Plus
Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. O Jornal Grajaú de Fato não se responsabiliza pelas opiniões pessoais de seus leitores.

Comentários

Lula: Quem apostar no fracasso do Brasil vai quebrar a cara


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva saiu em defesa do Brasil e disse não ter nenhum receio de ser otimista em relação ao país. Para ele, aqueles que apostarem no fracasso do Brasil vão “quebrar a cara”.

“Quando vejo pessoas falarem, pessoas que quebraram esse país duas vezes, tentar apostar que o país vai quebrar… eles vão quebrar. O Brasil vai se recuperar”, afirmou o ex-presidente, durante cerimônia de posse da nova diretoria do Sindicato dos Bancários do ABC.

“Não tenho medo de ser otimista. Somos um país grande, com uma enorme capacidade de recuperação e um mercado interno de 204 milhões de consumidores. Quem apostar no fracasso deste país vai quebrar a cara”, continuou.

Aos sindicalistas, Lula disse estar “cansado” da perseguição e criminalização às esquerdas do Brasil. Além disso, ele relembrou as conquistas do povo brasileiro nos últimos 12 anos.

“Eu nunca tinha visto pessoas que se dizem democráticas terem tanta dificuldade em aceitar uma derrota em eleição”, criticou.

“Eles não conseguem suportar o fato de que, em 12 anos, um presidente que tem apenas o diploma primário colocou mais estudantes na universidades do que eles colocaram em um século. Que esse presidente colocou três vezes e meia mais estudantes em escolas técnicas do que eles em 100 anos”, lembrou o ex-presidente.

“Que levou energia elétrica de graça para 15 milhões de pessoas. Que não deixou eles privatizarem o Banco do Brasil, a Caixa e os bancos do Espírito Santo, de Santa Catarina e do Piauí. Que nos últimos 12 anos nós bancarizamos 70 milhões de pessoas, gente que entrou numa agência bancária pela primeira vez sem ser para pagar uma conta. Acho que isso explica o ódio e a mentira dessas pessoas”, completou Lula.

Fonte: Agência PT, com informações do Instituto Lula. Foto: Fotos Públicas 
Compartilhar no Google Plus
Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. O Jornal Grajaú de Fato não se responsabiliza pelas opiniões pessoais de seus leitores.

Comentários

Jornal O Estado do Maranhão ataca pesquisa sobre governo de Flávio Dino


O jornal O Estado do Maranhão, de propriedade da família do ex-presidente José Sarney, incomodou-se com a aprovação de financiamento de uma pesquisa acadêmica sobre o comportamento editorial do jornal em relação ao governo de Flávio Dino (PCdoB). A pesquisa Governando contra as notícias: o primeiro ano do governo Flávio Dino nas páginas do jornal O Estado do Maranhão foi submetida a um edital da Fundação de Amparo à Pesquisa do Maranhão (Fapema) e, após avaliação por consultores externos, aprovada para financiamento. O resultado foi divulgado no último dia 15 de julho.

No dia seguinte, a coluna Estado Maior surpreendeu ao atacar a pesquisa, coordenada pela professora Li-Chang Shuen Cristina Silva Sousa em parceria com o diretor da Fundação Maurício Grabois, professor Fábio Palácio de Azevedo, e a professora Josefa Bentivi Andrade. A equipe de doutores responsável pela pesquisa compõe o corpo docente do Departamento de Comunicação da Universidade Federal do Maranhão.

Demonstrando claro desconhecimento da proposta da pesquisa e do funcionamento dos editais das agências de fomento, a coluna acusou a Fapema de aprovar um projeto por critérios políticos e afirmou que a intenção do governo é atacar o jornal e calar a liberdade de imprensa. “A pesquisa sinaliza críticas ao jornal e flores aos Leões”, afirmou O Estado do Maranhão em referência ao Palácio dos Leões, sede do governo estadual.

A coluna buscou, ainda, desqualificar a área de Ciências Sociais e Humanas ao estranhar um projeto “voltado especificamente para analisar a postura de um jornal frente ao atual governo”. O jornal afirmou ser “curioso figurar entre estudos para as áreas de saúde, ciências e tecnologia uma pesquisa que (pelo título) acena em direção a interesses do governo contra a imagem de um veículo de imprensa”. O que tentou o Estado do Maranhão, com esse ataque à liberdade de cátedra, foi lançar uma sombra de descrédito sobre uma equipe qualificada, com pesquisas ativas na área de mídia, política e poder.

A reação da comunidade acadêmica foi rápida. O departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Maranhão pediu direito de resposta, que foi acatado pelo jornal, e fez circular amplamente uma nota de repúdio na qual esclarece que pesquisadores não fazem militância política, e sim ciência. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Maranhão também afirmou, por meio de nota, que o julgamento das propostas apresentadas ao edital foi feito por consultores externos, de outros estados, com a chancela de serem pesquisadores de produtividade do CNPQ e sem nenhum vínculo com quaisquer dos proponentes locais. A repercussão negativa para o jornal foi tão grande que no dia 17 de julho a coluna voltou ao assunto para publicar o direito de resposta e tentar se retratar, ao desejar “sorte” para os pesquisadores.

Pesquisa que incomoda

O projeto prevê o acompanhamento da cobertura do jornal sobre o primeiro ano do governador Flávio Dino, com uma comparação quantitativa e qualitativa da cobertura do mesmo jornal durante o último ano da governadora Roseana Sarney, uma das proprietárias de O Estado do Maranhão. Os pesquisadores partem do pressuposto de que o jornalismo é uma instituição política, e que os jornais atuam como atores institucionais na disputa por hegemonia que, no caso em exame, dá-se entre as elites maranhenses tradicionais e os novos atores políticos alçados ao poder estadual com a vitória de Flávio Dino nas eleições de 2014.

O principal objetivo da pesquisa é entender o comportamento editorial do jornal, que dá voz a um grupo político deslocado para a oposição após décadas no comando do estado. Um paper com os resultados preliminares já se encontra disponível e será apresentado no Rio de Janeiro em setembro, durante o 38º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. O trabalho será publicado em breve pelo portal Grabois.

Compartilhar no Google Plus
Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. O Jornal Grajaú de Fato não se responsabiliza pelas opiniões pessoais de seus leitores.

Comentários